Foi publicada no Diário Oficial da União dia 13 de janeiro, a Portaria EPRT Nº 477 que estabelece o valor mínimo e máximo do salário de benefício e do salário de contribuição junto ao INSS (Instituto Nacional do Seguro Social). A partir do dia 1º de janeiro de 2021, o salário mínimo de benefício (aposentadorias, auxílio-doença, auxílio-reclusão e pensão por morte) não pode ser inferior a R$ 1.100,00 e o salário de contribuições (teto), não pode ser maior que R$ 6.433,57.

Para os beneficiários que recebem um salário mínimo, o valor representa um reajuste de 5,26% em relação aos R$ 1.045 do mínimo de 2020. 

Para quem recebe benefício acima do piso da Previdência, o valor representa um reajuste de 5,45% na comparação com o ano anterior. O reajuste acompanha o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que em 2020 registrou 5,45%, de acordo com o IBGE.

Para ler a Portaria na íntegra, acesse: https://bit.ly/2XEBBnS

Assessoria de Comunicação

25/01/2021 12:36:37

No dia 24 de janeiro foi celebrado o Dia do Aposentado. Todas as famílias brasileiras tiveram ou têm o privilégio de ter um aposentado por perto, que com muito trabalho e sacrifício conquistou o direito à aposentadoria. São muitas as histórias, experiências, vitórias, derrotas e desafios enfrentados que merecem ser ouvidas e valorizadas pelos filhos, netos, bisnetos...

O Brasil não pode abrir mão desse patrimônio fantástico que temos. Os aposentados são um acúmulo de conhecimento ainda tão necessário para fortalecer a nossa cultura, a economia, a política, as gerações futuras. Mas, infelizmente, as autoridades públicas e a sociedade brasileira não respeitam os aposentados. O RESPEITO QUE TODOS MERECEM E PRECISAM!

Na pandemia da Covid-19, os aposentados têm enfrentado uma luta diária para permanecerem vivos, uma vez que são mais frágeis as investidas do Coronavírus. É uma lástima ver todos os dias pessoas idosas à procura de atendimentos nos hospitais pelo país a fora. Muitos estão, literalmente, no “corredor da morte” porque a prioridade é dada aos pacientes mais jovens.

O aposentado precisa ser respeitado porque ele já cumpriu sua tarefa profissional no mundo do trabalho. Mais do que isso, a sociedade não pode renunciar ao conjunto de saberes e experiências que ele adquiriu ao longo dos anos. Valorizar os aposentados do setor de telecomunicações significa potencializar a nossa luta contra o governo Bolsonaro, que está matando os aposentados e destruindo o Brasil.

A sociedade brasileira não pode esquecer que os cidadãos e cidadãs aposentados de hoje contribuíram no passado para a Previdência Social e desenvolvimento da Nação. O que eles recebem como aposentadoria é um direito garantido na Constituição brasileira. Por isso, são merecedores da atenção da sociedade e da proteção do Estado, para viverem com dignidade e qualidade de vida. ESPERANÇA! ESPERANÇA! ESPERANÇA!

VACINA JÁ PARA TODOS OS APOSENTADOS!

A Secretaria da Saúde do SINTTEL-RS participou, dia 20, da reunião extraordinária do Fórum Sindical de Saúde do Trabalhador/a (FSST).

No encontro, o diretor Avaly, que integra a direção estadual da CUT-RS, falou sobre a necessidade de vacinação (a CUT está com a campanha VACINA JÁ-FORA BOLSONARO!) e as demandas de mobilização do sábado, dia 23, deliberadas em reunião da Secretaria de Saúde da CUT-RS.

Em relação a vacina, o objetivo é uma imediata ação perante o Ministério da Saúde e demais órgãos públicos responsáveis pela logística e pela aplicação das vacinas, alargando o leque de prioridades, o que poderia incluir os trabalhadores telefônicos, garantindo imunização a toda a população do RS, o que não será possível com a quantidade de doses  designadas para o Estado. Por isso, é necessário “forçar a barra” para incluir mais categoria – inclusive a dos telefônicos – no Plano Nacional de Imunização (PNI).

Defesa das Normas Regulamentadoras

Na parte da tarde, em reunião do FSST com o Dr. Rogério, do Ministério Público do Trabalho (MPT), o Sindicato tratou de outra questão que tem preocupado os trabalhadores, qual seja, a derrubada total das Normas Regulamentadoras (as NR’s). Para os dirigentes sindicais, dentro da lógica de "passa a boiada que eles estão distraídos com o COVID", o Ministério da Economia, mediante ação da Secretaria do Trabalho, tenta, de todas as formas, retirar das NR's os itens de seguridade e saúde da e do trabalhador.

Na avaliação do Fórum, o que o desgoverno e a patronal chamam de "adequação" não passa de uma precarização pura e simples das Normas.  

É ainda importante lembrar que faz parte da pauta permanente do Fórum a defesa intransigente do SUS, que tem sido fundamental na luta contra a pandemia e que tem salvado muitas vidas.

Assessoria de Comunicação

24/01/2021 22:23:36

A CUT-RS promove nesta segunda-feira (25), das 17h às 18h30, a oficina “O futuro do trabalho”, no Fórum Social Mundial (FSM), que pela primeira vez em 20 anos de existência, desde o surgimento em Porto Alegre em 2001, será realizado de forma virtual, em função da pandemia do novo coronavírus (covid-19). O FSM começa neste sábado (23) e vai até 31 de janeiro.

Haverá transmissão simultânea pelo Facebook nas páginas da CUT-RS e da CUT Brasil  

O tema da oficina integra o eixo “Justiça econômica” e será abordado por três representantes dos trabalhadores, que atuam no movimento sindical, na economia solidária e nos aplicativos, com a mediação do secretário de Organização e Política Sindical da CUT-RS, Claudir Nespolo.

“Trata-se de um debate mais do que oportuno e necessário porque o mundo do trabalho mudou profundamente nos últimos anos, com o uso de tecnologia de ponta e as novas formas de comunicação, além das reformas Trabalhista e da Previdência, a partir do golpe de 2016, que tiraram direitos e conquistas históricas da classe trabalhadora”, aponta Nespolo.

Para o dirigente da CUT-RS, “nós precisamos compreender tudo isso para enfrentar os novos desafios e as novas exigências, reorganizar a nossa luta para representar também os trabalhadores sem direitos e apoiar outras formas de geração de trabalho e renda, que garantem pão na mesa e dignidade para milhares de famílias brasileiras”.

Os participantes da oficina

Rafael Marques é ex-presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC e coordenador do Instituto Trabalho, Indústria e Desenvolvimento (TID) do Macrossetor da Indústria da CUT.

Nelsa Nespolo é presidenta da Central de Cooperativas e Empreendimentos Solidários (Unisol-RS), da Cooperativa de Costureiras Unidas Venceremos (Univens) e da Cooperativa Central Justa Trama, de Porto Alegre.

Carina Trindade é motorista e secretária-geral do Sindicato dos Trabalhadores por Aplicativos do Rio Grande do Sul.

Fonte: CUT-RS

24/01/2021 21:35:02

Rua Washington Luiz, 572 - Centro, Cep 90010-460 Porto Alegre, Rio Grande do Sul.

O novo horário de atendimento é das 10h às 16h15.

Este horário é emergencial, devido a pandemia.

Estamos à disposição dos trabalhadores, caso necessitem de informações ou qualquer outra questão, podem enviar email para Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. ou por telefone, pelo número (51) 3286.9600.

Atenciosamente,

Direção SINTTEL-RS