Governo federal corta duas vezes o reajuste do salário mínimo

O governo de Jair Bolsonaro anunciou nesta semana a segunda revisão de projeção para baixo do valor do salário mínimo, hoje em R$ 998,00. Em agosto deste ano a equipe econômica já havia anunciado uma redução de R$ 1.040,00 para R$ 1.039,00. Agora, anuncia nova revisão para R$ 1.030,00. São R$ 10,00 que o governo Bolsonaro tira do bolso do trabalhador. A medida também vale para os benefícios assistenciais, previdenciários, além do abono salarial e do seguro-desemprego, baseados no piso salarial do país.

De fato, se Bolsonaro tivesse mantido a regra de cálculo da Política de Valorização do Salário Mínimo, iniciada em 2004, o salário mínimo iria para R$ 1.050,89 em 2020 (R$ 52,89 a mais em relação aos atuais R$ 998,00). Isso porque, até Bolsonaro assumir, o salário mínimo era reajustado pela inlação medida pelo INPC mais a variação do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos antes. O atual governo quer que o reajuste se dê apenas pela inflação, que mesmo oficial, não reflete as perdas que o trabalhador sente no bolso.

A projeção do governo Bolsonaro é economizar, às custas do trabalhador, R$ 5,2 bilhões no Orçamento de 2020, com a revisão para baixo do salário mínimo. A proposta já foi encaminhada ao Congresso, que terá a decisão final sobre o reajuste do salário mínimo.

É bom lembrar que o valor de aumento do salário mínimo é referência para muitas outras negociações. Portanto, mesmo quem não ganha este salário, sairá prejudicado. 

Assessoria de Comunicação

27/11/2019 18:22:01

Rua Washington Luiz, 572 - Centro, Cep 90010-460 Porto Alegre, Rio Grande do Sul.