SINTTEL-RS chama trabalhadores à luta contra a Reforma da Previdência, em defesa da educação pública e por empregos

O SINTTEL-RS está chamando os trabalhadores telefônicos para, na terça-feira, dia 13 de agosto, participarem dos atos organizados pelas centrais sindicais e movimentos sociais contra a reforma da Previdência, em defesa da educação pública e por empregos.

O DIA NACIONAL DE LUTA foi convocado pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) e ganhou o apoio das centrais sindicais e da União Nacional dos Estudantes (UNE), entre elas, a CUT-RS.

Em Porto Alegre, as atividades iniciam às 14h, com um ato dos servidores, na Praça da Matriz, contra os desmandos dos governos estadual e federal, onde haverá uma aula pública sobre democracia e mercantilização da educação e da saúde, além de atrações artísticas. Às 16 horas continua a concentração na Praça, de onde os manifestantes saem em caminhada para um ato, às 18h, na Esquina Democrática, e em seguida em nova caminhada até a Faculdade de Educação (Faced) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

No ato contra o governo do Estado, os servidores querem cobrar os cinco anos de perdas sem reajuste salarial e os sistemáticos ataques aos servidores públicos, que estão tendo continuidade neste governo e sendo agravados, com a radicalização do projeto privatista, de desmanche das escolas públicas, precarização dos serviços públicos e redução do Estado. Além disso, o governo pretende atacar a previdência e os planos de carreira de todas as categorias. Todas medidas que não resolvem os problemas do Estado e criam um cenário futuro de mais problemas e miséria para os gaúchos.

Não vamos pagar a conta

O Dia Nacional de Luta contra a reforma da previdência, em defesa da educação e do emprego é uma resistência das ruas a postura dos parlamentares que já aprovaram em segundo turno a reforma da previdência. Mas a proposta ainda tem que passar também em dois turnos no Senado. Por isso a pressão agora é sobre os senadores.

O objetivo é denunciar à população que o que está sendo votado é um projeto que, na prática, acaba com a aposentadoria e penaliza tanto os servidores dos poderes e funcionários de empresas públicas, como trabalhadores do setor privado.

A opção do governo foi fazer com que os pobres paguem a conta da crise, enquanto ignora alternativas, como tributação para os ricos, rediscutir a dívida pública, cobrar os sonegadores e os devedores que devem R$ 1 trilhão para a Previdência.

O Sindicato reforça a importância de nesta terça, os trabalhadores telefônicos se fazerem presentes nas atividades em defesa da aposentadoria, da educação pública e dos empregos, bem como denunciar o desmonte que vem sendo promovido pelo governo Leite no RS.

Assessoria de Comunicação

12/08/2019 09:59:51

A direção do SINTTEL-RS acompanha atentamente o avanço da pandemia de COVID-19, a doença causada pelo CORONAVÍRUS. Preocupada com os trabalhadores em telecomunicações e, também, com os do Sindicato, decidiu reduzir o horário de trabalho podendo ser reavaliado a qualquer instante, conforme evolução do estado de alerta.

O novo horário é das 10h às 16h15. Este horário é emergencial.

Reafirmamos que estamos à disposição dos trabalhadores e trabalhadoras e orientamos todos que, caso necessitem de informações ou qualquer outra questão, podem enviar email para Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. ou por telefone, pelo número (51) 3286.9600.

Atenciosamente,

Direção SINTTEL-RS