SINTTEL-RS presente em ato contra a reforma da previdência

Dirigentes do SINTTEL-RS participaram, na sexta (22), do ato contra a reforma da previdência realizado em Porto Alegre e em diversas cidades do País. O Dia Nacional de Luta em Defesa da Previdência, chamada pelas centrais sindicais, reuniu milhares de trabalhadores(as), estudantes, aposentados(as), lideranças políticas de esquerda, deputados e ex-deputados, que foram às ruas para protestar contra a reforma do governo Bolsonaro. A atividade iniciou com concentração na Esquina Democrática, no centro da Capital, de onde saiu uma caminhada pelas ruas centrais de Porto Alegre, até o Largo Zumbi dos Palmares.

Segundo informações da CUT-RS, em pelo menos 72 cidades o Estado como Caxias do Sul, Rio Grande, Pelotas, Novo Hamburgo, Igrejinha, Taquara, São Leopoldo, Passo Fundo, Santa Cruz do Sul, Venâncio Aires e Santa Rosa, também realizaram manifestação, atingindo cerca de 1 milhão de gaúchos e gaúchas.

Apesar do tamanho e da abrangência das manifestações, a mídia silenciou sobre os atos, mostrando de que lado está nesta reforma que prejudica brutalmente os trabalhadores e praticamente acaba com este direito e compromete as gerações futuras.  

Também lembraram que nos países onde este modelo de previdência, o da capitalizaçao, foi imposta, como no Chile, hoje os aposentados vivem em estado de miséria.

Outra mentira do governo desmontada durante o ato, é a de que a reforma acaba com privilégios. Isso não é verdade, ao contrário setores como juízes, ministros, políticos não terão suas aposentadoria alteradas e a proposta apresentada para os militares aumenta em dois anos o tempo de rabalho para alguns, mas concede mais de 120% de aumento através de diversos benefícios, ou seja, uma proposta que melhora ainda mais os salários deste segmento na aposentadoria.

A alegada economia de um trilhão de reais que o governo diz que vaz fazer sairá exclusivamente dos trabalhadores do regime geral da cidade e do campo, ou seja, daqueles que estão entre os que recebem cerca de um a dois salários mínimos de aposentadoria.

Durante as falas, os dirigentes destacaram que este foi um primeiro ato nacional contra a reforma. Mas o objetivo é construir uma greve geral, a exemplo da realizada em abril de 2017, que teve um efeito importante e barrou a proposta de reforma de Temer.

Também foi defendida a unidade das centrais e dos trabalhadores para barrar esta reforma.

O SINTTEL-RS chama os trabalhadores a acompanharem as informações sobre a reforma da previdência e a não se deixarem enganar. Assim como a reforma trabalhista, aprovada com a “promessa” de que iria gerar empregos hoje resulta em mais desemprego, trabalhos precários, retirada de direitos e redução dos salários, a reforma da previdência também está sendo vendida como “necessária”, mas na verdade representará o fim de um dos mais importantes direitos dos trabalhadores, que é a sua aposentadoria.

Veja fotos

WhatsApp Image 2019 03 22 at 18.30.34

Sinttel no ato contra a reforma da previdência

Sinttel no ato contra a reforma da previdência 2

WhatsApp Image 2019 03 22 at 18.32.35

WhatsApp Image 2019 03 22 at 18.32.37

WhatsApp Image 2019 03 22 at 19.16.03

WhatsApp Image 2019 03 22 at 18.32.30

Assessoria de Comunicação

24/03/2019 20:22:47

Rua Washington Luiz, 572 - Centro, Cep 90010-460 Porto Alegre, Rio Grande do Sul.

 

Plantão Sindicato

Para atendimento ligar para este numero.

51 999 988 507