SINTTEL-RS participa de reunião ampliada da CUT com ex-ministro Celso Amorim

O dirigente da área de comunicação do SINTTEL-RS, Marcone Santana do Nascimento, participou na quarta-feira (21), da reunião ampliada da CUT-RS que teve a presença do ex-ministro das Relações Exteriores, Celso Amorin, que fez uma análise do momento vivido no Brasil durante a eleição e pós eleitoral.

Em sua fala, o diplomata criticou a noção de “nacionalismo” de Bolsonaro, uma vez que ele e o futuro ministro da Economia defendem privatizações para fazer negócios com poderosos grupos estrangeiros. Também se mostrou preocupado com as questões internacionais e criticou “a desnacionalização da Embraer” e “o desprezo pelas normas multilaterais”. Observou que “essa semelhança com o modelo de governo de Donald Trump, nos EUA, nos coloca em uma situação preocupante e delicada e traz riscos ao Brasil”.

Para ele, os problemas da indústria merecem uma atenção especial do movimento sindical. “O trabalhador pode ter todos os seus direitos garantidos, mas se não buscarmos uma maneira de conter a desindustrialização do país, o desemprego deve se agravar ainda mais”, pontuou.

O ex-chanceler apontou que “retrocesso seria voltar aos governos anteriores, mas o que está sendo proposto não se compara nem com a ditadura. “Estamos vivendo o que nunca vivemos antes”, enfatizou.

Segundo Amorim, a defesa das liberdades é fundamental e “é preciso restabelecer o discurso da racionalidade para resgatar a confiança”, a fim de desconstruir as mentiras espalhadas por Bolsonar, através de entrevistas à imprensa e postagens nas redes sociais.

Em seguida, o presidente da CUT-RS, Claudir Nespolo, falou sobre o documento da CUT em relação ao momento político brasileiro e reforçou que o documento está em sintonia com a resolução da última reunião da Executiva Nacional da Central, com objetivo de “subsidiar o debate nas entidades sindicais”, apontando cinco eixos “para contribuir na unidade das forças democráticas e populares, a fim de enfrentar o retrocesso”. 

Os eixos são: lutar por nenhum direito a menos, atualizar a estratégia organizativa e as ferramentas de comunicação, realizar uma cruzada de formação política e de elevação da consciência, e se engajar na campanha pela libertação de Lula, condenado sem provas e preso político desde 7 de abril, em Curitiba.

Já a economista Anelise Manganelli, do Dieese, fez uma apresentação sobre o resultado das eleições 2018 no Rio Grande do Brasil e no Brasil.

Destaque para a comunicação

A importância da inovação na forma de se comunicar com os trabalhadores foi tema de exposição da D3 Comunicação, que destacou a necessidade de fortalecer a atuação nas mídias sociais. Foi reforçada a realização de uma oficina de WhatsApp em parceria com o Sul21 no próximo dia 3 de dezembro, das 14h às 18h, no auditório do SindBancários, em Porto Alegre, para comunicadores e dirigentes das entidades filiadas à CUT.

Também foi definido o prazo até o dia 15 de dezembro para que as entidades remetam uma relação de dirigentes com seus números de celulares para a CUT-RS, visando organizar listas de transmissão de mensagens.

Assessoria de Comunicação

22/11/2018 15:59:57

Rua Washington Luiz, 572 - Centro, Cep 90010-460 Porto Alegre, Rio Grande do Sul.