Os telefônicos estiveram representados na greve geral do dia 14 de junho, chamada pelas centrais sindicais, contra a reforma da previdência proposta pelo governo Bolsonaro, os cortes na educação e o desemprego. A paralisação, segundo estimativas das centrais, reuniu em todo o país mais e 45 milhões de pessoas, de diferentes movimentos e categorias.

As atividades começaram ainda na madrugada, com piquetes em portas de fábricas e garagens de ônibus, para sensibilizar os trabalhadores a aderirem ao movimento. Os dirigentes estiveram presentes em diversas delas, em Porto Alegre e em outras cidades.

As mobilizações se mantiveram no decorrer do dia em diversos locais. Durante todo o dia, os trabalhadores se manifestaram contra a reforma, conversaram com a população e explicaram os prejuízos, para todos, trabalhadores da ativa e aposentados, jovens e idosos, homens e mulheres, com as reforma da previdência. Em muitos locais, os grevistas tiveram que enfrentar a absurda e descabida truculência da tropa de choque da Brigada Militar.

No final da tarde, a concentração na Esquina Democrática, em Porto Alegre, reuniu mais de 50 mil pessoas, entre trabalhadores, estudantes, movimentos sociais e outros segmentos.  E mais uma vez, durante as falas no carro de som, os dirigentes sindicais, políticos de esquerda e representações dos movimentos sociais reiteraram que esta reforma praticamente acaba com a possibilidade de aposentadoria, não acaba com os privilégios, já que políticos, juízes e militares continuarão recebendo aposentadorias de cerca de 30 mil reais e apenas beneficia os bancos.

Em seguida, com cartazes, faixas e palavras de ordem, os manifestantes se deslocaram pelas ruas centrais da Capital, em caminhada até o Largo Zumbi dos Palmares, onde houve um ato de encerramento das ativdiades do dia.

A greve geral do dia 14 de junho foi a terceira grande manifestação popular em apenas 30 dias. A primeira foi a greve nacional da educação em 15 de maio, convocada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores da Educação (CNTE) e apoiada pelas centrais sindicais e estudantes. A segunda foi o ato contra os cortes na educação e em defesa da aposentadoria, chamada pela União Nacional dos Estudantes (UNE) em 30 de maio, apoiada também pelas centrais sindicais. O SINTTEL-RS esteve presente em todas elas, defendendo os direitos dos trabalhadores, dos estudants e do povo brasileiro.

Assessoria de Comunicação

17/06/2019 21:31:53

Durante o almoço no dia 12 de junho, no Clube Geraldo Santana, em Porto Alegre, os aposentados e pensionistas votaram, de forma simbólica, contra a proposta da reforma da previdência apresentada pelo governo Bolsonaro ao Congresso.

A iniciativa foi depois da apresentação do dirigente do SINTTEL-RS, Gilnei Azambuja, que colocou aos presentes o que representa de fato a reforma e os prejuízos para os trabalhadores, tanto para quem está na ativa, como inclusive para quem já está aposentado.

Segundo o presidente do SINTTEL-RS, a demonstração é importante, porque contribui para o fortalecimento da posição da categoria contrária a esta reforma.

Durante o encontro também foi feito o convite para que os aposentados participassem da greve geral contra a reforma da previdência, os cortes na educação e o desemprego, realizada no dia 14 de junho último e que reuniu mais de 50 mil pessoas no ato do final do dia, no centro da Capital.

Ele também destacou a importância dos aposentados e pensionistas nas lutas da categoria, apoiando e levando sua experiência aos trabalhadores que ainda estão na ativa. “A votação lembrou as grandes assembleias do tempo da CRT no Protásio Alves,  Tesourinha,  Colégio Rosário e cinema Vitória”, frisou.  

Assessoria de Comunicação

16/06/2019 20:19:54

O SINTTEL-RS participará, no dia 14 de junho, da Greve Geral convocada pelas centrais sindicais contra a reforma da previdência, os cortes na educação e o desemprego.

O Sindicato orienta aos trabalhadores da ativa e aposentados que somem nos atos e manifestações em suas respectivas cidades e convoca todos a estarem às 17 horas, na Esquina Democrática, em Porto Alegre, para o grande ato unitário dos trabalhadores, estudantes e movimentos sociais. O objetivo é fazer um forte dia de paralisação contra esta reforma que, na prática, acaba com o direito a aposentadoria e afeta a todos indistintamente: trabalhadores da ativa, aposentados, homens, mulheres, jovens, deficientes, idosos e toda a população e beneficia apenas aos patrões e aos bancos.

O movimento é também para alertar a população e cobrar dos parlamentares que não aprovem a reforma apresentada pelo governo Bolsonaro que é ainda pior que a do governo Temer e que foi barrada nas ruas, com grandes manifestações, reunindo milhares de brasileiros.

A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 06/2019, ou REFORMA DA PREVIDÊNCIA, modifica as atuais regras da previdência social para beneficiar os empresários, os bancos e não acaba com os privilégios como dos militares, dos políticos e dos juízes e promotores, que já estão entre os salários mais altos da previdência. Mas afeta duramente os trabalhadores e a maioria da população (cerca de 70%), que ganha em torno de um salário mínimo de aposentadoria.

Além disso, o país tem vivido um  momento de intensos retrocessos que não podem ser aceitos pela população, como cortes na educação, crescimento do desemprego, retirada de direitos, ataques ao meio ambiente, crescimento da violência, redução ou fim dos programas sociais, no geral prejudicando os setores mais pobres da sociedade.

Por tudo isso, dia 14 é   GREVE GERAL! Participe e faça sua parte. Só saia de cada se for para somar nas manifestações da greve na sua cidade e mostre que os trabalhadores telefônicos também estão na luta.

Além de participar das manifestações, a orientação e de que: não vá a nenhum mercado, farmácias, padarias, restaurante, shoppings, lotérica, banco, academia, escola/faculdade, açougues ou qualquer outro estabelecimento; também não marque consultas para essa data, não compre móvel, eletrodomésticos ou outras mercadorias; não abasteça o carro, entre outras atividades. Só saia de casa para participar das manifestações da greve. E às 17h, participe do grande ato unitário na Esquina Democrática em Porto Alegre ou dos atos em sua cidade.

Assessoria de Comunicação

12/06/2019 13:48:24

Dirigentes do SINTTEL-RS realizaram, no dia 11 de junho, entrega das carteirinhas do Sindicato no litoral Norte, nos Balneários Figueirinha e Pérola (Arroio do Sal) e também fizeram o recadastramentos dos aposentados sindicalizados.

As trabalhadoras aposentadas Sra. Ivone e Thomazinha, receberam seus cartões e poderão usar os milhares de convênios proporcionados pela parceria do Sindicato com a MasterClin em instituições de ensino, comércio e serviços, não só no litoral, mas em todo o país.

Além disso, estão também contribuindo para o fortalecimento e manutenção do Sindicato, que ao longo dos anos vem organizando a luta dos telefônicos no RS e garantindo os seus direitos e avanços nos Acordos Coletivos.

Sindicalize-se e participe da luta da categoria.

WhatsApp Image 2019 06 12 at 16.52.482

Assessoria de Comunicação

12/06/2019 13:29:14

logo fitratelp 3 f01CUTA

Rua Washington Luiz, 572 - Centro, Cep 90010-460 Porto Alegre, Rio Grande do Sul.